StudioIno coordena reformulação do tradicional restaurante Viena

Quarenta anos atrás, o Viena abria sua primeira unidade, um restaurante no Conjunto Nacional em São Paulo. Em 2016, depois de décadas de sucesso e crescimento, a marca, agora parte do International Meal Company – Imc, queria se renovar para atrair um novo público sem perder de vista os clientes cativos. O StudioIno entrou na história para fazer esse desafio se tornar realidade e o resultado mais proeminente deste trabalho foi inaugurado no início do mês. O restaurante da rede no Shopping Iguatemi é um dos mais importante da marca e servirá de modelo para o restante das novidades que o Viena prepara para 2017.

A inovação exigiu um trabalho multidisciplinar

O trabalho começou em abril e a fase de pesquisa e planejamento durou em torno de 4 meses. “O primeiro Viena era um restaurante moderno, quando foi inaugurado 40 anos atrás. Era voltado para pessoas de 25 a 35 anos. Hoje, esse público está nos seus 60 70 anos. O objetivo era preparar a marca para uma nova geração sem abandonar sua primeira clientela”, explica Diris Petribú, diretora do StudioIno.

Para atender a demanda do cliente, o StudioIno montou uma equipe de profissionais de diferentes áreas de expertise. “Entendemos, desde o início, que para enfrentar esse desafio não precisávamos de uma solução de arquitetura ou gastronomia, por exemplo. Era preciso uma abordagem multidisciplinar”, conta Petribú.

O primeiro passo foi a organização de workshops de reenquadramento e cocriação com diferentes partes envolvidas no projeto. A partir dos resultados deste trabalho inicial, o conceito central foi desenvolvido e outros parceiros foram chamados para, cada uma em sua especialidade, contribuir para o trabalho.

A DesignMuda elaborou workshops e o conduziu a pesquisa inicial. Alice Yang foi a especialista em branding que amarrou o conceito final e criou a nova identidade do segmento. A Todos Arquitetura e o StudioIno ficaram responsável pela ambientação do espaço. E o chef Du Cabral e o barman Alex Zemczak reformularam o menu e opções de bebidas da casa. O StudioIno executou o projeto de foodservice, arquitetura do interior e coordenou os trabalhos de todas as equipes. Diris Petribú foi a arquiteta responsável por toda a obra.

O resultado foi um novo conceito para a Viena

Ao final de quatro meses de pesquisa e mais dois de obras, a unidade reformulada do Viena Delish no Shopping Iguatemi foi inaugurada com uma abordagem diferenciada. O local passou a ser um food hall, com diferentes opções de espaços, serviços e menu. “Há um bar com cervejas artesanais. Um ambiente com pizzas feitas às vistas do cliente e uma hamburqueria parceira que passou a funcionar dentro do restaurante. Outro espaço conta com uma cozinha com finalizações abertas. Cada área com um cardápio e ambientação específica”, explica Petribú.

O cliente pode aproveitar o Viena Delish da forma que achar mais interessante. “Dá para ir ao bar, pedir uns petiscos rápidos e depois ir para o cinema. Mas dá também para sentar, pedir uma pizza ou um prato em família. O cliente pode escolher a mesa comunitária ou ir para um ambiente mais reservado”, diz Petribú.

No total, o Viena Delish conta com seis opções de ambientes, distribuídas em um salão com pé direito de 5.5 metros, 260 metros quadrados e com capacidade para até 120 pessoas.

Reformulação segue tendências do foodservice

O trabalho de reformulação do Viena do Shopping Iguatemi apresenta ao público conceitos que representam o que há de mais novo em termos de serviço em foodservice. Entre elas, a diretora do StudioIno destaca a preparação dos pratos no próprio restaurante, utilizando-se apenas produtos frescos e nenhum industrializado. A preparação destas refeições na frente do cliente, em cozinhas abertas é outra tendência adotada. A transparência e naturalidade adotada na forma de lidar com os alimentos se traduzem também na ambientação. Embora com diferentes propostas de serviços, todos os cantinhos do restaurante contam com decoração casual, simples e moderna.

Novo restaurante será modelo para outras unidades Viena

A ideia do grupo IMC, detentor da marca Viena, é expandir o novo conceito criado pelo StudioIno para as cinco unidades semelhantes, tendo o restaurante do Shopping Iguatemi como flagship para todo o selo Delish.

Serviço:

A unidade reformulada do Viena Delish fica no andar térreo do Shopping Iguatemi de São Paulo, na Avenida Brigadeiro Faria Lima 2232, Jardim Paulistano.

Ficha técnica:

Unidade: Restaurante Viena Delish

Projeto de foodservice: Diris Petribú – Senior Member FCSI – Líder do projeto, Eduardo Esteban, João Carlos Faias e equipe do StudioIno

Investimento total: R$ 3 milhões

Cliente: International Meal Company – Imc

Equipe do cliente: Jaime Szulc, Pierre Berenstein, Regina Belelli, Vivian Paulatti, Du Cabral, Alex Zemczak

Escopo do Projeto: Novo conceito e reformulação do Restaurante Viena no Shopping Iguatemi, São Paulo

Arquitetos: Diris Petribú, Luisa Gambaro, Ana Luisa Cronemberger, Maria Wolf

Design de interior: StudioIno e Todos Arquitetura

Workshop e pesquisa inicial: DesignMuda e StudioIno

Pesquisa, conceituação e Branding: Alice Yang

Construção: S6 Construções

Marcenaria: AFA Marcenaria

Fornecedor de Equipamentos: Macom/Hoshizak, Unox, Ingecold

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

StudioIno oferece diferentes soluções em arquitetura, design e inovação para foodservice

Resumimos nossa atuação em uma frase: Completa experiência em foodservice.

Mas como esse trabalho funciona?

Contamos com três times.

Arquitetura e consultoria – A equipe de arquitetura utiliza uma metodologia própria e consagrada para desenvolver propostas inovadoras. Já entregamos inúmeros projetos de retrofit, back e front of the house, branding, gerenciamento de obras e novos conceitos. Os clientes do time de arquitetura são diferentes estabelecimentos de foodservice. Entre eles, restaurantes comerciais ou corporativos, hospitais, padarias, cafés e centrais de produção.

Baixe mais informações sobre nosso trabalho de arquitetura:

arquitetura

Material informativo em português sobre trabalho de arquitetura.

Arquiteturaeng

Material informativo em inglês sobre trabalho de arquitetura.

 

Design de produto e inovação O time de design foca em inovação e desenvolvimento de produtos para foodservice. Os projetos desta equipe já foram reconhecidos com diferente prêmios nacionais e internacionais. Entre eles, o Red Dot Award, uma das mais importantes premiações de design no mundo. Além da criação de novos produtos, a equipe do StudioIno trabalha ainda redesign, engenharia, pesquisa, e análise de oportunidades de mercado.

Baixe mais informações sobre nosso trabalho de design:

designport

Material informativo em português sobre trabalho de design.

designingles

Material informativo em inglês sobre trabalho de design.

 

Cozinha colaborativaNosso terceiro time é o mais diverso. Na verdade, trabalhamos para que cada vez mais diferentes profissionais de variadas áreas participem também. O Hub FoodService é a nossa cozinha colaborativa. O espaço pode ser utilizado para eventos, treinamentos, aulas, por exemplo. Para negócios pequenos ou iniciantes, o Hub pode ser contratado como central de produção, reduzindo custos de operação.

Baixe mais informações sobre nossa cozinha colaborativa:

hubport

Material informativo em português sobre cozinha colaborativa.

hubingles

Material informativo em inglês sobre cozinha colaborativa.

 

StudioIno apresenta soluções para novos negócios em foodservice na Feira do Empreendedor

De 20 a 23 de fevereiro, São Paulo recebe mais uma edição da Feira do Empreendedor, evento organizado pelo Sebrae. O StudioIno participa apresentando projetos de cozinha industrial para diferentes modelos de negócio. Empresários e investidores interessados no mercado de alimentação podem conferir as novidades do escritório que estarão expostas no estande da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).

A arquiteta e diretor da StudioIno, Diris Petribu, explica que a proposta, feita em parceria com a Abrasel, é versátil para atender diversos tipo de estabelecimentos. “Foi projetado uma cozinha funcional, para a orientação de fluxos e equipamentos e, na frente, diferentes conceitos: hamburgueria, restaurante self service, temakeria, bike de sorvete e um bar”.

Restaurante de Sucesso-Sebrae

No espaço dentro da Feira, o empreendedor poderá ainda ter consultoria da Abrasel e de Sebrae para negócios no setor de alimentação. Técnicos das instituições falarão com o público, em visitas agendadas sobre fluxos, processos, regulamentações, entre outros temas.

O StudioIno oferece diferente serviços para empreendedores interessados no setor de foodservice. O time de arquitetura do escritório é especializado em projetos e acompanhamento de obras de cozinhas e centrais de produção comerciais. Já a divisão de design do StudioIno é reconhecida pela excelência em desenvolvimento e redesign de equipamentos para cozinhas industriais, tendo recebido vários prêmios nacionais e internacionais.

Há mais ou menos um ano, o StudioIno iniciou as atividades do Hub Foodservice, uma cozinha colaborativa e espaço coworking específico para o setor de alimentação. Novos negócios, que ainda não contam com central de produção, podem alugar a cozinha do Hub para este propósito e economizar no investimento inicial para abertura do empreendimento.

O StudioIno tem experiência em projetos de arquitetura e design para novos negócios em foodservice. Estão na carteira de clientes do escritório marcas como as sorveterias Davvero, Soffione e La Naturelle, a confeitaria B.Lem, o restaurante Jalapeño e Buffet Teras, e a cafeteria Café Creme. Todas procuraram o escritório quando foram abrir suas primeiras unidades.

A Feira do Empreendedor será realizada de 20 a 23 de fevereiro, no Anhembi Parque, Pavilhão Norte / Sul, na Avenida Olavo Fontoura, n 1209. A entrada para o evento é franca.

Ajude a ONG Instituto Anchieta Grajaú a construir uma cozinha

O Instituto Anchieta Grajaú está buscando auxílio de empresas e da sociedade em geral para construir uma cozinha na sede da ONG. O StudioIno, o escritório Loeb Capote Arquitetura e o Sindicato das Empresas Fabricantes de Equipamentos e Produtos para Cozinhas Industriais (Sindal) se uniram para apoiar a campanha da instituição por recursos para a obra. Especialista em arquitetura e consultoria para foodservice, o StudioIno desenvolveu o projeto para o novo espaço juntamente com a Loeb Capote Arquitetura. O Sindal está mobilizando esforços para garantir ajuda para realizar a reforma. Para ajudar, basta verificar a lista de equipamentos que a ONG necessita e fazer a doação para o Sindal (sindal@sindal.org.br) ou para o StudioIno (diris@studioino.com.br). A campanha foca, especialmente, em empresas do setor de foodservice que queiram doar itens novos ou seminovos.

Ajude a ONG Instituto Anchieta Grajaú a construir uma cozinha

A ONG foi fundada há 22 anos e atende, com programas educativos, cerca de 600 crianças, jovens e adolescentes, além de 158 meninos e meninas que frequentam a creche do espaço na comunidade do Grajaú. Segundo o Mapa da Prefeitura do Município de São Paulo, de 2003, o distrito do Grajaú está em penúltimo lugar na classificação geral do índice de qualidade de vida. O local tem ainda pontuação alta no Índice Paulista de Vulnerabilidade Social. O instituto conta, atualmente, com uma cozinha que, mesmo não estando em condições adequadas, serve de local para o preparo de 1830 refeições diárias, incluindo café da manhã, lanches, almoço e jantar.

O projeto da nova cozinha já foi elaborado, em uma parceria entre o StudioIno e o escritório Loeb Capote Arquitetura. Roberto Loeb, fundador da empresa, está também à frente do Instituto Anchieta Grajaú. “O envolvimento dele começou de um desejo de um grupo de amigos em pensar alternativas para as condições desfavorecidas da comunidade do Grajaú, tendo em vista um terreno de 240 mil metros quadrados doado pela construtora Cyrela”, explica Marina Loeb, filha de Roberto, e uma das arquitetas responsáveis pelo projeto da nova cozinha da ONG. A construtora, inclusive, já doou parte do valor necessário para a construção civil do novo espaço.

O primeiro passo para a reformulação da cozinha foi identificar os problemas e oportunidades das instalações atuais. “Hoje, a cozinha funciona de forma muito simples, mas com um cuidado com os produtos, com a alimentação e, principalmente, com os usuários. Existe uma horta orgânica e um trabalho bem bacana de conscientização sobre meio ambiente e utilização de recursos naturais”, explica Diris Petribu, diretora do StudioIno e também responsável pelo projeto para o Instituto.

A ideia foi projetar uma cozinha funcional, com fluxos corretos, equipamentos que melhorem a produção e um ambiente com conforto ambiental e dentro das normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A nova cozinha terá a área ampliada para 495 metros quadrados e, com isso, aumentará também a capacidade de atendimento. “Além disto, o projeto visa proporcionar um espaço aconchegante e confortável para que os usuários se sintam como se estivessem em casa”, diz Marina Loeb. “Prevê-se jardins internos, e refeitório com configurações e escala que propiciem encontros e convívios férteis”, explica. Diris dá mais detalhes sobre as especificações técnicas do novo espaço. “Pretendemos certificar a cozinha com o selo Green kitchen, com ambientes que valorizem o controle da insolação, a iluminação natural e a ventilação renovada. O espaço terá uso de materiais naturais, reusados, reciclados ou certificados e tratamento do lixo, que será utilizado para a horta comunitária”, detalha Diris. Com a reforma, o espaço passará a funcionar também como uma cozinha experimental para cursos e treinamentos voltados para a comunidade local.

Ajude a ONG Instituto Anchieta Grajaú a construir uma cozinha

Saiba mais:

Sobre o Instituto Anchieta Grajaú:

www.institutoanchietagrajau.org.br

Sobre como ajudar:

StudioIno

www.studioino.com.br

Rua Apinagés, 1718, Sumaré – São Paulo – SP

Fone: (11) 3868-4664

Email: Diris Petribu – diris@studioino.com.br

Sindal

www.sindal.org.br

Rua Tagipuru, 235 cj. 102 e 103 – Barra Funda – São Paulo – SP

Fone: (11) 3661-0589

Email: sindal@sindal.org.br

Jovens fundadores da Legurmê dão lições de como empreender no Foodservice

Fundadores da LegurmêDo jantar com os amigos surgiu a ideia. De uma receita de família surgiu o produto principal. A história da Legurmê até começou como um bom papo de cozinha, mas foi preciso muito planejamento, pesquisa e seriedade para tirar o projeto bacana do papel. Rafael Baches e Danilo Campos, sócios da empresa, contaram com a parceria do HUB FS nesse início de empreitada.

O trabalho começou em setembro do ano passado quando os amigos empreendedores decidiram colocar no mercado a Legurmê, uma linha de antepastos diferenciada. Durante o tempo de pesquisa e desenvolvimento dos produtos, um amigo de Campos que trabalha com um food truck indicou o StudioIno, que havia projetado sua cozinha central. Os executivos do StudioIno estavam montando o HUB FS, uma cozinha colaborativa e espaço coworking para profissionais de foodservice. Os dois empreendimentos se encaixavam perfeitamente.

Os sócios da Legurmê exergaram na parceria com o HUB uma forma de conseguir colocar os produtos no mercado sem precisar fazer um aporte financeiro alto. “Foi uma oportunidade de não ter que fazer um investimento no início e ter uma cozinha desenvolvida por profissionais que entendem muito do ramo”, conta Baches.

Com a parceira, os sócios da Legurmê puderam personalizar alguns dos espaços do HUB FS para atender demandas específicas do neǵocio deles. A Legurmê armazena as embalagens dos produtos em área alugada no HUB. Como os ingredientes dos antepastos precisam ficar em cozimento por muito tempo, a Legurmê conta com um forno ideal para este tipo de preparo na cozinha do HUB.

Rotina de trabalho – A equipe da Legurmê utiliza a cozinha colaborativa do HUB todas as quintas e sextas. Os produtos são preparados com ingredientes selecionados e, depois de embalados, seguem para empórios, lojas de produtos naturais, mercados e restaurantes. “Sabíamos que colocar de pé uma cozinha nos moldes do que a gente queria demoraria uns quatro meses, então foi interessante vir para o HUB e começar a testar do produto no mercado”, explicou Baches. Podendo testar o produto e entender as demandas na cozinha, os sócios da Legurmê poderão utilizar os recursos de forma mais eficiente quando chegar a hora de montar o próprio espaço. “Podemos postergar o investimento para quando tivermos uma noção melhor de como vai ser a dinâmica de produção”.

Produtos – A Legurmê produz uma linha de antepastos de baixa caloria, sem conservantes ou aditivos. São cinco sabores diferentes e os produtos se diferenciam por poderem ser usados tanto como entradas, como acompanhamento ou molho para massas e saladas. “São receitas leves, práticos e com bastante sabor”, define Baches. Uma das delícia da Legurmê é o antepasto de berinjela agridoce, uma adaptação de uma receita de família de Danilo Campos.

Com poucos meses no mercado, mas fazendo muito bom uso deste período de testes iniciais,

os negócios da Legurmê estão indo muito bem, obrigado. Os sócios têm clientes em São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul e estão fechando a participação em eventos voltados para alimentação saudável.

Lições – Os amigos tiraram algumas lições importantes com esta forma inovadora de empreender no foodservice. Baches destacou três aprendizados para quem quer iniciar um negócio na área. Primeiro, “há uma diferença muito grande entre gostar de cozinhar e empreender neste setor”. Ele lembra que quem cozinha em casa por prazer pode não estar ciente de que em uma cozinha industrial é preciso padronizar todos os processos para garantir a qualidade dos produtos.

Outra lição é simples. Testar o produto, conversar e ouvir. “O HUB tem a ver com isso porque com a parceria dá para fazer esses testes antes de fazermos um investimento maior e ao mesmo tempo não fazer algo muito informal como preparar as receitas nas nossas casas e pedir para os amigos provarem”, explica Baches.

A terceira lição é pensar o modelo de negócios aos poucos. “É preciso testar o modelo de negócios e acompanhar todas as etapas dos processos, estar junto dos clientes e dos fornecedores”. Essa participação cuidadosa evita que erros ou oportunidades só acabem sendo notados muito adiante. Dá trabalho? Dá. Mas para Baches, é exatamente a possibilidade de participar de todas as etapas de um negócio o que o instiga a empreender. Quando precisou descrever sua função na Legurmê, ele foi rápido. “Bombril”. “Somos Bombril, mil e uma utilidades, participamos de tudo”.